Boas vindas

Os Tamborins Estão Tocando!

Caro visitante,  Estamos finalmente, com uma reformulação do blog em curso! Depois de quatro anos, com mudança de gerenciador e remane...

A Mal Contada História de Tito Pontevedra, Um Animador Galego no Brasil

Artigo em Revista
(indexado pela 1ª vez em 8/3/2016)
Autor: Roberto Maia
Revista: 
Revista Filme Cultura - n. 60
Ano: 2013
País: Brasil

Crescer em meio a metros de celuloide, uma moviola, mesas de  animação, uma câmera Bolex-Paillard H16 Reflex, um projetor Bell &  Howell é algo inesquecível, único; ainda mais se aquele que faz uso de  tudo isso é o seu pai! Imagine nesse ambiente qual poderia ser a sua  educação? Falar de cinema era brincar de cinema! Portanto, crescer no  mundo da animação foi a minha vida, e conviver com um artista genial foi  a minha sorte.
Este maestro se chamava Roberto Miller, de nascença Ignácio Maia,  filho de um jornalista português correspondente da agência Reuters que,  na década de 1920, retornou a seu país natal levando junto o pequeno  filho. Esse menino cresceu em Portugal em meio ao jornalismo, à boemia,  cercado de fotógrafos e aficionados do cinema de arte europeu. De  repente, cansado do frio de Portugal e da falta do calor materno e da  avó que mimava o neto primogênito com sotaque português, quis voltar a  morar no Brasil e, convenhamos, um pai jornalista e boêmio estava longe  da imagem de um pai chegado aos mimos! A escolha de fazer a vanguarda  nos trópicos pode não ter sido certa em matéria de reconhecimento, mas  foi plena em termos de realização pessoal.

Fonte: Revista Filme Cultura - n. 60, Edição jul/set 2013, p. 71-73.

Para o texto completo, clique aqui.